Por que uma empresa deve elaborar um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS)

 

Para incentivar uma melhor gestão de resíduos no Brasil, diversos setores da economia são obrigados a elaborar um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS). O plano deve quantificar cada tipo de resíduo gerado e indicar os procedimentos que serão adotados para uma gestão eficiente dos descartes. O planejamento, é claro, deve estar de acordo com as normas ambientais, tendo como foco a sustentabilidade.

O PGRS é uma premissa da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS, Lei nº 12.305/2010), que estabelece critérios rigorosos para o manejo dos descartes. O início da gestão, segundo a lei, deve se iniciar por um PGRS, um documento que detalha como será feito o controle e a destinação dos materiais descartados, apontando como os resíduos serão segregados e acondicionados, quais serão as destinações para cada tipo de resíduo, como serão feitas eventuais reutilizações, entre outros dados.

O PNRS exige que as empresas contratadas para realizar os serviços de coleta, transporte e tratamento dos resíduos estejam devidamente aptas para a realização de seus serviços, respeitando normas ambientais, evitando quaisquer tipos de contaminações. Essas informações também devem constar no PGRS elaborado pela instituição. Os dados presentes no plano devem ser técnicos, devidamente apurados por empresas especializadas em gestão de resíduos. A Multilixo, por exemplo, presta esse tipo de auxílio, colaborando com diferentes instituições no gerenciamento de seus descartes.

A não realização de um PGRS pode causar prejuízos para as empresas. Por exemplo, não ter controle do volume de resíduos pode gerar grandes desperdícios e perdas econômicas. O descarte inadequado de materiais ainda pode chegar a ser enquadrado como crime ambiental. Além disso, a falta de um PGRS pode impedir que a empresa tenha um alvará para realizar suas atividades ou o licenciamento ambiental de trabalhos potencialmente poluidores.

É imprescindível que empresas e instituições de alguns setores tenham um PGRS, como é o caso de geradores de resíduos perigosos, resíduos industriais, resíduos de serviços de saúde e construção civil. O planejamento deve ser detalhado e, é claro, exequível. A gestão não pode estar apenas no papel, mas ser colocada em prática. A Multilixo oferece diversos serviços para todas as etapas do gerenciamento de resíduos, da elaboração do PGRS à destinação final dos descartes. É fundamental contar com um auxílio de uma empresa experiente e habilitada para realizar tarefas de tamanha importância para as instituições.