Desenvolvimento e meio ambiente são assuntos que, de tempos em tempos, se chocam.

Mas, aqui na Multilixo, os dois andam lado a lado. Nós entendemos que a desenvolvimento sustentável não é apenas uma ideia, é uma necessidade. Assim, nossa proposta é criar soluções que gerem resultados inovadores para a sua empresa. E, o nosso diferencial? Experiência de mais de 25 anos e atitude sustentável.

Conte com nossos serviços:

  • Assessoria completa na obtenção de licenças e cadastros ambientais.
  • Gerenciamento de resíduos
  • Programas e projetos na área ambiental;
  • Projetos de áreas para armazenamentos de resíduos
  • Logística integrada na coleta, transporte e disposição final de todos os tipos de resíduos;
  • Logística reversa com créditos de reciclagem;
  • Serviços de remoção de passivos;

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Ter uma empresa de confiança e qualidade cuidando do gerenciamento de resíduos é fundamental para a sua empresa. A Multilixo cuida desde a caracterização dos resíduos gerados, análises laboratoriais, documentação ambiental (CADRI), coleta, transporte, destinação final até a entrega dos CDFs (Certificados de Destruição/Destinação Final). Dessa forma, temos controle de todo processo, o que torna possível facilitá-lo para você.

Além disso, todo mês são fornecidas planilhas e gráficos com o controle de toda a movimentação ocorrida, bem como a atualização do Inventário de Resíduos (arquivos eletrônicos).

Já conhece nossas tecnologias de destinação? Confira!

Reciclagem

O que hoje é um assunto amplamente discutido, a Multilixo já pratica há mais de 25 anos. Iniciamos nossas atividades reciclando papel, plástico e logo depois, prestando serviços de coleta de lixo. Atualmente, trabalhamos a importância da implantação da coleta seletiva e separação de resíduos com todos os nossos clientes, visando a diminuição da geração de lixo e dos descartes em aterros sanitários.

Ao reciclar, nós transformamos e valorizamos aquilo que um dia já nos foi útil. Além de gerar inúmeros benefícios para a sociedade e ao meio ambiente, o empresário também diminui suas despesas com remoção de resíduos.

Co-processamento em fornos de cimento

Essa é uma tecnologia reconhecida mundialmente, tem um custo operacional por tonelada muito inferior ao da incineração convencional e uma eficiência de destruição de 99,99%. Os fornos de cimento reúnem algumas características ideais para a eliminação de resíduos perigosos. Alguns fornos também são licenciados para a queima de combustível derivado de resíduos urbanos (CDR).
Aliando essa tecnologia ao nosso processo de RECICLAGEM buscamos oferecer ao nosso cliente o atendimento a meta de “ATERRO ZERO”.

Os gases no forno de clínquer podem atingir temperaturas máximas de 2.000ºC no queimador principal. Essas temperaturas são as mais elevadas encontradas em um processo industrial e por isso, este forno tem condições ótimas para a queima e destruição de qualquer resíduo que possa oxidar e decompor com a temperatura.

Resíduos passíveis de incineração:

  • Ascarel (bifenilas policloradas);
  • Terra contaminada;
  • Compostos organoclorados;
  • Resíduos orgânicos;
  • Embalagens contaminadas;
  • Resíduos contendo substâncias tóxicas;
  • Resíduos reativos inflamáveis;
  • Resíduos do Serviço da Saúde;
  • Outros resíduos perigosos;
  • Hidrocarbonetos clorados secos;
  • Hidrocarbonetos clorados úmidos;
  • Borras de fosfito;
  • Outros resíduos perigosos.

Incineração

A incineração, considerada por alguns como forma de disposição final, é um método de tratamento que utiliza da decomposição térmica via oxidação, com o objetivo de tornar um resíduo menos volumoso, menos tóxico ou atóxico, ou ainda eliminá-lo, em alguns casos.

Entre todas as tecnologias de tratamento, a incineração é o que apresenta os mais altos graus de destruição e controle para uma ampla faixa de resíduos perigosos.

Como funciona?

– Nesta tecnologia, ocorre a decomposição térmica via oxidação à alta temperatura da parcela orgânica dos resíduos, transformando-a em uma fase gasosa e outra sólida, reduzindo o volume, o peso e as características de periculosidade dos resíduos.

– As escórias e as cinzas resultantes do processo são destinadas para o Aterro Classe I.

– Os efluentes líquidos são encaminhados para estação de tratamento com 100% de reuso no processo.

– Os gases são monitorados e controlados dentro dos mais rígidos padrões estipulados pelos órgãos ambientais.

Autoclave

A autoclavagem de resíduos dos serviços de saúde é um processo de esterilização à vapor de resíduos do grupo A1, A4 e E. Consiste em um sistema de alimentação sob determinadas condições de pressão e temperatura, que conduz os resíduos até uma câmara estanque onde é feito vácuo e injetado vapor d’água a uma temperatura que varia de 130ºC a 140ºC. Os resíduos devem permanecer na câmara durante um determinado tempo até se tornarem estáveis.

Aterros

Entre as formas de disposição final de resíduos industriais incluem-se a destinação em aterros sanitários ou industriais. O aterro é uma forma de disposição de resíduos no solo fundamentada em critérios de engenharia e normas operacionais específicas.

Entretanto, a disposição indiscriminada de resíduos pode causar poluição do ar, pela exalação de odores, fumaça, gases tóxicos ou material particulado, poluição das águas superficiais pelo escoamento de líquidos percolados ou carregamento de resíduos pela ação das águas de chuva e poluição do solo e das águas subterrâneas pela infiltração de líquidos percolados.

Estes problemas são eliminados pela adoção das seguintes medidas de proteção ambiental:

  • Localização ambiental
  • Elaboração de projeto criterioso
  • Implantação de infraestrutura de apoio
  • Implantação de obras de controle de poluição
  • Adoção de regras operacionais específicas.

Os aterros são divididos de acordo com a periculosidade dos resíduos que recebem, conforme recomenda a NBR 10004. São eles:

Aterro Classe I

Destina-se a resíduos industriais perigosos, não-reativos e não inflamáveis, com baixo teor de solventes óleos ou água.

Aterro Classe II-A

Destina-se à disposição de resíduos industriais não-perigosos e não-inertes e para a disposição de resíduos domiciliares.

Aterro Classe II-B
(Resíduos Inertes)

Devido a característica inerte dos resíduos dispostos, este aterro dispensa impermeabilização do solo e possui sistema de drenagem de água pluviais.

Resíduos que podem ser submetidos a compostagem:

  • Cascas, folhagens, bagaços de frutas, legumes e vegetação no geral;
  • Cama de aviário;
  • Cinzas de caldeira;
  • Lodos de ETE biológicas, inclusive provindas de sanitários;
  • Pó de carvão vegetal e serraria;
  • Podas de árvores brutas ou trituradas;
  • Produtos alimentícios vencidos ou fora de especificação desde que sem embalagem;
  • Restos de alimentos provenientes de restaurantes, supermercados, CEASAS, entre outros.

Compostagem

Trata-se da reciclagem da matéria orgânica. Neste processo temos transformações extremamente complexas que são realizadas por milhares de micro-organismos que têm na matéria orgânica sua fonte de energia, nutrientes minerais e carbono.

Resultado desta atividade controlada temos o composto, gás carbônico, calor e água. O composto possui nutrientes minerais como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, zinco, cobre, manganês, boro entre outros que são absorvidos pelas plantas através das raízes reincorporando os elementos gradativamente.

Quanto mais diversificados os materiais com os quais o composto é feito, maior será a variedade de nutrientes que poderá suprir.

Quando temos um processo de gerenciamento de resíduos com a diretriz de Aterro Zero, a compostagem se torna obrigatória.

Benefícios

  • Excelente alternativa para destinação de resíduos orgânicos;
  • Atende a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS);
  • Contribui diretamente com o aumento da vida útil dos aterros sanitários;
  • Promove a reciclagem e valoriza os resíduos orgânicos, quando transformados em composto;

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGISTICA REVERSA

Introduzido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) através da Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, e de seu regulamento, Decreto Nº 7.404 de 23 de dezembro de 2010, a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e a Logística Reversa entra nos meios produtivos, comerciais e de consumo para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos.

Definido como “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada”, esse termo é utilizado desde a década de 1990, quando as empresas passaram a preocupar-se com a utilização dos recursos naturais e com o retorno de produtos descartados pelos consumidores.

As primeiras mercadorias afetadas por essa mudança foram aquelas consideradas tóxicas e prejudiciais à natureza, como é o caso de:

  • agrotóxicos;
  • lixo hospitalar;
  • medicamentos;
  • pilhas e baterias;
  • embalagens de produtos químicos.

Nesse exemplo, o descarte incorreto pode causar também danos à saúde. Por esse motivo, é tão importante que a cadeia de suprimentos seja capaz de operacionalizar a devolução de produtos com a mesma eficiência que a realiza a sua distribuição.

O objetivo principal da Logística Reversa é a gestão e a distribuição do material descartado tornando possível o retorno de bens ou materiais constituintes ao ciclo produtivo agregando valor econômico, ecológico, legal e de localização ao negócio.

A Multilixo através da sua divisão de reciclagem, a FLACIPEL, participa desde outubro de 2018 do Sistema de Logística Reversa de Embalagens em Geral – FIESP, CIESP e ABRELPE como Operadora do Sistema, fornecendo a comprovação de reciclagem de embalagens pós consumo em um volume superior a 10.000 toneladas.

A previsão anual de nossa volumetria para certificação de Logística Reversa é de 50.000 toneladas.

Entre em contato

Sede: Rua Ushikichi Kamiya, 3555 – Parque Casa da Pedra – SP, CEP 02323-000